Cozinhar “á Portugueza” com Lucas Rigaud. Identidade alimentar portuguesa no Cozinheiro Moderno

  • João Pedro Gomes Universidade de Coimbra – CECH

Resumo

Publicado no ano de 1780, o Cozinheiro Moderno de Lucas Rigaud, cozinheiro régio, tentou estabelecer na sociedade portuguesa do final de Setecentos um novo modelo de gosto e cozinha. Certamente inspirado pela fama alcançada pelo seu companheiro de profissão, Lucas Rigaud faria uma obra à imagem e semelhança do Le Cuisinier Moderne de Vincent La Chappelle, com o claro intuito de introduzir definitivamente a nouvelle cuisine francesa em Portugal, bem como toda a variedade de receitas estrangeiras que a caracterizava. No entanto, o cozinheiro de D. José I não se desvincula por completo das tradições culinárias lusitanas e inclui 14 receitas de pratos “à Portuguesa” e cuja análise permite, em certa medida, conhecer e compreender a persistência de determinadas práticas alimentares, de origens recuadas, e que compõem o que hoje podemos denominar de identidade alimentar portuguesa.

https://doi.org/10.14195/1645-2259_16_11

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-12-30
Como Citar
GOMES, João Pedro. Cozinhar “á Portugueza” com Lucas Rigaud. Identidade alimentar portuguesa no Cozinheiro Moderno. Revista de História da Sociedade e da Cultura, [S.l.], v. 16, p. 243-270, dez. 2016. ISSN 2183-8615. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/index.php/rhsc/article/view/3973>. Acesso em: 29 maio 2017.
Secção
Artigos

Palavras-chave

Identidade alimentar portuguesa; livros de cozinha; Lucas Rigaud; património alimentar; século XVIII