A Evolução da Imprensa sobre Cinema em Portugal

Da Ditadura aos Primeiros Anos da Democracia

Palavras-chave: Imprensa Portuguesa, Jornalismo de Cinema, Cinema Português

Resumo

A investigação sobre Jornalismo de Cinema (aqui entendido como um subgénero do Jornalismo Cultural) é praticamente inexistente em Portugal e sendo o cinema uma das manifestações artísticas com maior presença na imprensa portuguesa (de acordo com os dados do projecto de investigação A Cultura na Primeira Página[Baptista, 2014; 2017a; 2017b]), importa aprofundar a investigação sobre este subgénero do Jornalismo Cultural.

Neste sentido, e numa perspectiva histórica, a relação entre o cinema e o jornalismo é quase tão antiga como a própria sétima arte. De acordo com Barroso (2008: p. 23), "desde os primórdios do cinema que se começa gradualmente a impor uma cultura cinematográfica impossível de conceber sem a existência de textos que falam dos filmes e leitores interessados nas fitas". Em Portugal, a primeira publicação dedicada em exclusivo ao cinema surge na década de 1910 e, a partir daí, proliferam as publicações sobre cinema que têm acompanhado a implementação do cinema na vida dos portugueses e a edificação do cinema português. É a partir da segunda metade do séc. XX que se começa a constatar “uma aceleração do gosto cinematográfico” (Barroso, 2008:26) e uma consolidação das publicações sobre cinema em Portugal.

Neste artigo, focamos o nosso olhar nas décadas de 1950 a 1980 e, através da revisão de literatura e análise de conteúdo às principais publicações sobre cinema, procuramos traçar a evolução da imprensa sobre cinema em Portugal atendendo à história do cinema português e ao contexto em que essas publicações surgiram e circularam.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-10-25