Agentes de povoamento e evangelização, mentores do crescimento paroquial, entre o Côa e o Távora – séculos XIII e XIV

  • Luciano Moreira Faculdade de Letras, Universidade de Coimbra

Resumo

O presente trabalho aborda as problemáticas relacionadas com a evolução da rede paroquial, desde o século XIII até ao século XIV, no território situado entre os rios Távora e Côa que foi um dos quatro distritos do bispado de Lamego. Procurámos identificar e elencar condicionalismos e intervenientes que possibilitaram o povoamento desta zona, a partir do período pós-reconquista cristã, nomeadamente a sua localização geoestratégica. O fato de ser uma zona de fronteira exigiu medidas, com vista ao seu povoamento, por parte da monarquia e casas senhoriais presentes no território, através da outorga de instrumentos de fixação da população (cartas de foral). Após a reconquista cristã, a rede paroquial deu os primeiros passos e foi evoluindo de acordo com as decisões e orientações da Igreja Católica. O conhecimento da evolução da rede paroquial foi feito a partir das fontes disponíveis, permitindo-nos elencar os vários agentes responsáveis pela ereção canónica, crescimento, manutenção e trâmites da mesma.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-05
Secção
Artigos