A televisão no Portugal pós-revolucionário

instrumentalização, desregulação, demissão do Estado e debilitação do sector dos media

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14195/2183-5462_37_7

Palavras-chave:

televisão, pós-revolução, democracia, regulação, liberalização

Resumo

Este estudo integra uma caracterização histórico-política do período de emergência do bloco conservador-liberal da Aliança Democrática (1979-1983) e uma abordagem da informação e da programação televisiva, com particular destaque para o início dos anos 80, com o serviço público de televisão na dependência de uma maioria política. Esta análise histórica do período da abertura da televisão à iniciativa privada aborda ainda a questão da televisão da Igreja, que marca também a década; a questão do Estado na sua relação com a televisão e o espectro radioeléctrico enquanto instrumentos do sistema político-partidário e de governo; o enquadramento do “cavaquismo” na sua relação com a TV; e finalmente, em contexto conclusivo, uma abordagem da emergência da TV privada em Portugal e das suas consequências, neste caso à luz dos estudos de Nelson Traquina referidos na bibliografia, procurando reequacionar a conhecimento sobre o período e o respectivo estado da arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##submission.downloads##

Publicado

2020-10-21

Como Citar

Cádima, F. R. (2020). A televisão no Portugal pós-revolucionário: instrumentalização, desregulação, demissão do Estado e debilitação do sector dos media. Media & Jornalismo, 20(37), 131-141. https://doi.org/10.14195/2183-5462_37_7