Desconstruções do feminino: uma leitura das postagens de mães de crianças autistas no Facebook

Palavras-chave: identidade feminina, autismo, Facebook

Resumo

O rótulo mãe azul é usado como homenagem às mulheres que cuidam de filhos com transtorno autista. Porém, ao mesmo tempo que posiciona a mulher no papel de cuidadora, o rótulo também lhe designa o lugar da abnegação e sacrifício pela dedicação à maternidade exemplar. Fixadas no papel de mãe ideal, as mulheres ainda são classificadas como sujeitos reconhecíveis e aceitáveis socialmente pela correspondência aos valores morais ancorados no cuidado da prole. Este texto apresenta parte do estudo de caso realizado na pesquisa sobre as práticas enunciativas e comunicacionais em postagens divulgadas por mães de crianças portadoras do autismo, através da página Lagarta Vira Pupa, no Facebook, entre janeiro e julho de 2017. A análise, baseada na etnografia virtual, observa como as mulheres elaboram sua fala voltada à promoção da autonomia e autoafirmação, a fim de romper com a identidade feminina fixada na maternidade ideal, incompatível com a experiência cotidiana.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-12-28