Menos insegurança hoje, mais liberdade amanhã. O passado ensina

Palavras-chave: Burocracia, Europa, Genocídio, Nazismo, homo homini lupus

Resumo

Este ensaio está divido em duas partes intimamente interligadas. A primeira delas – “A burocracia da destruição” – refere-se ao mais contundente episódio de aniquilação sistemática do “inimigo”, a partir da negação dos seus direitos e da subestimação de seus atributos humanos. Na outra parte – “Homo homini lupus” – procura-se mostrar que a índole das pessoas e a trajetória histórica dos povos podem convergir em uma resultante que possibilita acontecer aquilo que os homens normais não imaginam que aconteça, cujo exemplo maior – embora não único – é o holocausto, o qual foi promovido pelo movimento totalitário nacional-socialista e sistematizado por um grupo burocrático-ideológico fanatizado. A breve consideração final, à guisa de conclusão, diz respeito à crença no aprendizado da geração atual com as que lhes antecederam no conturbado século XX. A maior estabilidade sociopolítica, nomeadamente na Europa de hoje, contribui para uma melhor convivência entre pessoas, maior confiança entre países e mais liberdade para todos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Aly, Gotz – O Estado popular de Hitler. Alfragide, Portugal: Texto Editores, 2009.

Agamben, Giorgio – O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. São Paulo: Boi tempo Editorial, 2008.

Arendt, Hannah – Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

Arendt, Hannah – Origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

Enriquez, Eugène – Da horda ao Estado: psicanálise do vínculo social. Rio de Janeiro: Zahar, 1990.

Evans, Richard – O Terceiro Reich no poder. São Paulo: Ed. Planeta, 2014. FREUD, Sigmund – O mal-estar na cultura. Porto Alegre: L & PM, 2014.

Karski, J. – Estado secreto: memórias de um herói da resistência polonesa durante a segunda guerra mundial. Rio de Janeiro: Ed. Objetiva, 2005.

Kertész, Imre – Kadish para uma criança que não vai nascer. Lisboa: Ed. Presença, 2004. Kets De Vries, M. F. R. – Reflexões sobre caráter e liderança. Porto Alegre: Bookman, 2010 LEVI, Primo – É isto um homem. Rio de Janeiro: Rocco, 2013.

Mcnab, Chris – Datos clave – El tercer reich. Madrid: LIBSA, 2010. Milgram, Stanley – Obediência à autoridade. Rio de Janeiro: F. Alves, 1983. Milosz, Czeslaw – A mente cativa. Manaus: Novo Mundo, 2010.

Roland, Paul – Os julgamentos de Nuremberg. São Paulo: Ed. Makron Books, 2013.

Toland, John – Adolf Hitler. Volumes I (a) e II (b). Rio de janeiro: Livraria Francisco Alves Editora, 1978.

Voegelin, Eric – Hitler e os alemães. São Paulo: É Realizações, 2008.

Wachsmann, Nikolaus – KL – a história dos campos de concentração nazis. Alfragide: Ed. Dom Quixote, 2015.

Weber, Max – A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Pioneira, 1996.
Zimbardo, Phillip – The Lucifer effect: understanding how good people turn evil. London: Randon House, 2008.
Publicado
2020-04-27
Como Citar
Alves, S., & Valente, I. M. (2020). Menos insegurança hoje, mais liberdade amanhã. O passado ensina. Debater a Europa, (22), 9-21. https://doi.org/10.14195/1647-6336_22_1

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)