A Escala de Mindfulness Interpessoal na Parentalidade – Versão Bebé

Propriedades Psicométricas e Estrutura Fatorial numa amostra de Mães Portuguesas no Período Pós-parto

Autores

  • Brígida Caiado Universidade de Coimbra, Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental, Coimbra, Portugal https://orcid.org/0000-0002-9845-0696
  • Daniela Ventura Fernandes Universidade de Coimbra, Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental, Coimbra, Portugal https://orcid.org/0000-0002-8947-5138
  • Maria Cristina Canavarro Universidade de Coimbra, Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental, Coimbra, Portugal
  • Helena Moreira Universidade de Coimbra, Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitivo-Comportamental, Coimbra, Portugal https://orcid.org/0000-0002-1487-0539

DOI:

https://doi.org/10.14195/1647-8606_63-2_7

Palavras-chave:

parentalidade mindful, IM-P, bebé, estudo psicométrico

Resumo

O presente estudo teve como objetivo explorar a estrutura fatorial e as propriedades psicométricas de uma versão adaptada da versão em Português da Escala de Mindfulness Interpessoal na Parentalidade para pais de bebés de 0 a 12 meses (IM-P-I). Foram realizados dois estudos. O primeiro estudo incluiu 560 mulheres no período pós-parto e examinou a estrutura fatorial e a consistência interna do IM-P-I. O segundo estudo incluiu 295 mulheres no período pós-parto, com o objetivo de confirmar a estrutura fatorial do questionário e examinar a sua consistência interna e validade de constructo. Nos dois estudos, o modelo original de cinco fatores correlacionados (que incluiu as subescalas Escutar com Atenção Plena, Consciência Emocional da Criança, Compaixão pela Criança, Autorregulação na Relação Parental, e Aceitação Não Ajuizadora do Funcionamento Parental) foi o modelo que melhor se ajustou aos dados. Foram encontrados valores de alfa de Cronbach adequados para a pontuação total da escala e para todas as subescalas, exceto para a subescala Consciência Emocional da Criança. Foram encontradas correlações negativas moderadas a fortes entre as subescalas do IM-P-I e a sintomatologia ansiosa e depressiva e a desregulação emocional. Este estudo mostra que o IM-P-I é uma medida psicometricamente adequada para avaliar a parentalidade mindful no período pós-parto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##submission.downloads##

Publicado

2020-12-28

Como Citar

Caiado, B., Ventura Fernandes, D., Canavarro, M. C., & Moreira, H. (2020). A Escala de Mindfulness Interpessoal na Parentalidade – Versão Bebé: Propriedades Psicométricas e Estrutura Fatorial numa amostra de Mães Portuguesas no Período Pós-parto. Psychologica, 63(2), 139-157. https://doi.org/10.14195/1647-8606_63-2_7

Edição

Secção

Artigos