Serviço público e regiões: reflexões em torno da informação de âmbito regional

  • Patrícia Ascensão Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Centro de Investigação em Comunicação, Informação e Cultura Digital

Resumo

A reflexão sobre o serviço público de rádio e de televisão insere-se num campo de discussão muito mais extenso e que se inter-relaciona com outros domínios e contextos da sociedade contemporânea. São vários os autores que consideram que o serviço público está em crise e que é crucial encontrar soluções que possam contrariar este cenário, fortemente influenciado pelas leis do mercado bem como pelas políticas definidas para o setor dos media, quer a nível nacional quer a nível europeu. Daí que seja de crucial importância continuar a investigar e a aprofundar o conhecimento sobre esta temática. O serviço público encerra em si responsabilidades sociais, assentes em princípios e valores que lhe são exigidos e que são o fundamento da sua essência e a sustentação da sua existência. A cobertura das diferentes regiões nacionais é uma das suas obrigações, especialmente num país que se caracteriza por acentuadas assimetrias regionais de ordem diversa e evidentes em quase todos os domínios da vida pública. Este artigo, que integra uma investigação mais abrangente e cujo principal objetivo é a caracterização da informação diária de âmbito regional difundida nos principais canais da televisão e rádio públicas nacionais, procura refletir sobre a relação que existe entre regiões e serviço público, bem como o papel deste último em matérias de diversidade, pluralismo e proximidade.

Palavras-chave

Serviço Público; Regiões; Informação; Diversidade; Proximidade

  • Resumo viewed = 16 times
  • PDF viewed = 9 times

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-11-16
Como Citar
ASCENSÃO, Patrícia. Serviço público e regiões: reflexões em torno da informação de âmbito regional. Media & Jornalismo, [S.l.], v. 17, n. 31, p. 43-57, nov. 2017. ISSN 2183-5462. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/mj/article/view/4795>. Acesso em: 14 dez. 2017.