Televisão e império: sobre a inexistência de emissões da RTP nas províncias ultramarinas portuguesas

  • Francisco Rui Cádima

Resumo

Neste texto vamos procurar entender algumas das razões fundamentais que explicam o facto de a televisão nunca ter chegado às colónias portuguesas, quer durante a governação de Salazar, quer inclusivamente com Marcello Caetano, apesar de ter sido ele o impulsionador da televisão em Portugal. Da análise do contexto político nacional e internacional e do confronto com a própria experiência sul-africana, mais determinada na sua “iconoclastia” catódica, algumas das conclusões que retiramos conduzem-nos a uma pergunta para a qual a própria experiência política e mediática do apartheid parece sugerir uma resposta. E que tem a ver com os impactos possíveis de uma outra estratégia propagandística televisiva em contexto colonial. Que consequências diversas poderia ter tido? Deixemos que seja aqui o próprio leitor a retirar as suas conclusões.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-10-11
Como Citar
CÁDIMA, Francisco Rui. Televisão e império: sobre a inexistência de emissões da RTP nas províncias ultramarinas portuguesas. Media & Jornalismo, [S.l.], v. 16, n. 29, p. 83-91, out. 2016. ISSN 2183-5462. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/mj/article/view/3740>. Acesso em: 21 out. 2017.

Palavras-chave

Televisão, Salazarismo, Ditadura, Colónias

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)