Dilatando a fé e o império: a imprensa na Guiné no colonialismo (1880-1973)

  • Isadora Ataíde Fonseca

Resumo

Analisar a trajectória do jornalismo e as relações entre a imprensa o império na Guiné ao longo do colonialismo são os objectivos do artigo. O estudo adopta uma perspectiva multidisciplinar de investigação e análise, na qual a imprensa é observada na sua interdependência às dimensões política, económica e social. Aplicam-se as teorias do jornalismo em regimes liberais e autoritários para se observar a imprensa. O tardio surgimento da imprensa oficial reflectiu a fragilidade da presença portuguesa durante a Monarquia Constitucional. Ao longo da República a imprensa independente não se afirmou como espaço de debate público. No Estado Novo a imprensa serviu à propaganda do regime autoritário. Ao longo do colonialismo a imprensa na Guiné desempenhou o papel de apoiar e defender o império.
  • Resumo viewed = 20 times
  • PDF viewed = 30 times

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-10-11
Como Citar
FONSECA, Isadora Ataíde. Dilatando a fé e o império: a imprensa na Guiné no colonialismo (1880-1973). Media & Jornalismo, [S.l.], v. 16, n. 29, p. 119-138, out. 2016. ISSN 2183-5462. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/mj/article/view/3743>. Acesso em: 11 dez. 2017.

Palavras-chave

Guiné Portuguesa; colonialismo; imprensa; jornalismo; regimes políticos